DA JANELA




DA JANELA





Da janela a vida eu vejo


nesse tempo a minha passa. 


Analiso cada cena 


pelo meio da vidraça. 


Cada coisa é um verso,



cada cena um poema. 


Mas cada dia que passa 


cria-se um novo tema. 



De todas as janelas que vejo


desta minha em que analiso, 


Há um outro que observa 


seguindo sem improviso. 




E cada coisa que está rua


muda sem que pareça 


desde cedo, bem cedo. 


Até antes que anoiteça. 


Os que olham envelhecem,


mas com muita emoção 


pois é pensando na vida, 


que se renova o coração.



AGRADECIMENTOS A:
Ana Mello
Fábio Wlademir RS
Fábio Wlademir RS

This is a short biography of the post author. Maecenas nec odio et ante tincidunt tempus donec vitae sapien ut libero venenatis faucibus nullam quis ante maecenas nec odio et ante tincidunt tempus donec.

Nenhum comentário:

Postar um comentário