Inocentes - Nem Tudo Volta




Vou por ruas, sempre escuras
Bares suspeitos pra frequentar
Muito tempo, pouco dinheiro
Amigos que não posso recomendar

Vou por caminhos que não me permitem voltar
O meu destino me leva pra qualquer lugar
Nem tudo volta!
Um pouco fica pra trás
Nem tudo volta!
Nem tudo importa

Carros rápidos, trânsito lento
Pela janela vejo o tempo passar
Becos estreitos, putas e bêbados
Ninguém parece se incomodar



Vou por caminhos que não me permitem voltar
O meu destino me leva pra qualquer lugar
Nem tudo volta!
Um pouco fica pra trás
Nem tudo volta!
Nem tudo importa





     



.


Vou por ruas, sempre escuras Bares suspeitos pra frequentar Muito tempo, pouco dinheiro Amigos que não posso recomendar Vou ...

Cartola - Preciso Me Encontrar







Preciso Me Encontrar
Cartola

Deixe-me ir
Preciso andar
Vou por aí a procurar
Rir pra não chorar
Deixe-me ir
Preciso andar
Vou por aí a procurar
Rir pra não chorar

Quero assistir ao sol nascer
Ver as águas dos rios correr
Ouvir os pássaros cantar
Eu quero nascer
Quero viver

Deixe-me ir
Preciso andar
Vou por aí a procurar
Rir pra não chorar
Se alguém por mim perguntar
Diga que eu só vou voltar
Depois que me encontrar

Quero assistir ao sol nascer
Ver as águas dos rios correr
Ouvir os pássaros cantar
Eu quero nascer
Quero viver

Deixe-me ir
Preciso andar
Vou por aí a procurar
Rir pra não chorar

Deixe-me ir preciso andar
Vou por aí a procurar
Rir pra não chorar
Deixe-me ir preciso andar
Vou por aí a procurar
Rir pra não chorar





     



.


Preciso Me Encontrar Cartola Deixe-me ir Preciso andar Vou por aí a procurar Rir pra não chorar Deixe-me ir Preciso andar ...

Cartola - O mundo é um moinho




O Mundo é Um Moinho
Cartola


Ainda é cedo, amor
Mal começaste a conhecer a vida
Já anuncias a hora de partida
Sem saber mesmo o rumo que irás tomar

Preste atenção, querida
Embora eu saiba que estás resolvida
Em cada esquina cai um pouco a tua vida
Em pouco tempo não serás mais o que és


Ouça-me bem, amor
Preste atenção, o mundo é um moinho
Vai triturar teus sonhos, tão mesquinho
Vai reduzir as ilusões a pó

Preste atenção, querida
De cada amor tu herdarás só o cinismo
Quando notares estás à beira do abismo
Abismo que cavaste com os teus pés

././././././././././././

Angenor de Oliveiramais conhecido como Cartola, (Rio de Janeiro11 de outubro de 1908 — Rio de Janeiro30 de novembro de 1980) foi um cantorcompositorpoeta e violonista brasileiro.
Considerado por diversos músicos e críticos como o maior sambista da história da música brasileira, Cartola nasceu no bairro do Catete, mas passou a infância no bairro de Laranjeiras. Criou o Bloco dos Arengueiros, cujo núcleo em 1928 fundou aEstação Primeira de Mangueira. Após muitos anos desaparecido do cenário musical carioca, foi reencontrado em 1956 e voltou a cantar, indo a programas de rádio e compondo novos sambas para serem gravados. A partir daí, o compositor foi redescoberto por uma nova safra de intérpretes.2 3
Em 1974, aos 66 anos, Cartola gravou o primeiro de seus quatro discos solo e sua carreira tomou impulso de novo com o sucesso de seus LPs, fazendo shows por diversas cidades brasileiras e mantendo o ritmo de trabalho até o final de sua vida, em 1980.3

Via Wikipedia - http://pt.wikipedia.org/wiki/Cartola_%28compositor%29





     



.


O Mundo é Um Moinho Cartola Ainda é cedo, amor Mal começaste a conhecer a vida Já anuncias a hora de partida Sem saber m...

Só Deus Pode Me Julgar (Ao Vivo), MV Bill



Só Deus Pode Me Julgar
Mv Bill

Vai ser preciso muito mais pra me fazer recuar
Minha auto-estima não é fácil de abaixar
Olhos abertos fixados no céu
Perguntando a Deus qual será o meu papel.
Fechar a boca e não expor meus pensamentos
Com receio que eles possam causar constrangimentos
Será que é isso? Não cumprir compromisso
Abaixar a cabeça e se manter omisso.
A hipocrisia, a demagogia se entregue à orgia
Sem ideologia, a maioria fala de amor no singular
Se eu falo de amor é de uma forma impopular
Quem não tem amor pelo povo brasileiro
Não me representa aqui nem no estrangeiro
Uma das piores distribuições de renda
Antes de morrer, talvez você entenda

Confesso para ti que é difícil de entender
No país do carnaval o povo nem tem o que comer
Ser artista, Pop Star, pra mim é pouco
Não sou nada disso, sou apenas mais um louco
Clamando por justiça, igualdade racial
Preto, pobre é parecido mas não é igual
É natural o que fazem no senado
Quem engana o povo simplesmente renúncia o cargo
Não é caçado, abre mão do seu mandato
Nas próximas eleições bota a cara como canditado
Povo sem memória, caso esquecido
Não foi assim comigo, fiquei como bandido
Se quiser reclamar de mim, que reclame
Mas fale das novelas e dos filmes do Van Daime
Quem vive no Brasil, no programa do Gugu
Rebolo, vacilou, agachou e mostrou
Volta pra América e avisa pra Madonna
Que aqui não tem censura meu pais é uma zona
Não tem dono, não tem dona, nosso povo ta em coma
erga sua cabeça que a verdade vem à tona.

É! Mantenho minha cabeça em pé!
Fale o que quiser, pode vir que já é!
Junto com a ralé Sem dar marcha ré!
Só Deus pode me julgar, por isso eu vou na fé !

<

Soldado da guerra a favor da justiça
Igualdade por aqui é coisa fictícia
Você ri da minha roupa, ri do meu cabelo
Mas tenta me imitar se olhando no espelho
Preconceito sem conceito que apodrece a nação
Filhos do descaso mesmo pós-abolição
Mais de 500 anos de angústia e sofrimentos
Me acorrentaram, mas não meus pensamentos
Me fale quem... Quem!?
Tem o poder... Quem!?
Pra condenar... Quem!?
Pra censurar... Alguém!?
Então me diga o que causa mais estragos
100 gramas de maconha ou um maço de cigarros?
O povo rebelado ou polícia na favela?
A música do Bill ou a próxima novela?
Na tela, seqüela, no poder corrupção
Entramos pela porta de serviço
Nossa grana não
Tapão ... só pra quem manda bater
Pisando nos humildes e fazendo nosso ódio crescer (CV)
MST, CUT, UNE, CUFA (PCC)
O mundo se organiza, cada um a sua maneira
Continuam ironizando
Vendo como brincadeira, besteira
Coisa de moleque revoltado
Ninguém mais quer ser boneco
Ninguém mais quer ser controlado
Vigiado, programado, calado, ameaçado
Se for filho de bacana o caso é abafado
A gente é que é caçado, tratados como Réu
As armas que eu uso é microfone, caneta e papel
A socialite assiste a tudo calada
Salve ! Salve ! Salve!
Oh ! pátria amada, mãe gentil
Poderosos do Brasil
Que distribuem para as crianças cocaína e fuzil
Me calar, me censurar porque não pode fala nada
É como se fosse o rabo sujo falando da bunda mal lavada
Sem investimento, no esquecimento, explode o pensamento
Mais um homem violento
Que pega no canhão e age inconseqüente
Eu pego o microfone com discurso contundente
Que te assusta uma atitude brusca
Dignificando e brigando por uma vida justa
Fui transformado no bandido do milênio
O sensacionalismo por aqui merece um prêmio
Eu tava armado mas não sou da sua laia
Quem é mais bandido? Beira mar ou Sérgio Naya?
Quem será que irá responder
Governador, Senador, Prefeito, Ministro ou você?
Que é caçado e sempre paga o pato
Erga sua cabeça pra não ser decepado

É! Mantenho minha cabeça em pé!
Fale o que quiser pode vir que já é!
Junto com a ralé Sem dar marcha ré !
Só Deus pode me julgar por isso eu vou na fé !

Como pode ser tragédia a morte de um artista
E a morte de milhões, apenas uma estatística ?
Fato realista de dentro do Brasil
Você que chorava lá no gueto ninguém te viu
Sem fantasiar realidade dói
Segregação, menosprezo é o que destrói
A maioria é esquecida no barraco
Que ainda é algemado, extorquido e assassinado
Não é moda quem pensa incomoda
não morre pela droga, não vira massa de manobra
Não idolatro a mauricinho da Tv, não deixa se envolver
Porque tem proceder Pra que? Porque?
Só tem paquita loira, aqui não tem preta como apresentadora
Novela de escravo a emissora gosta mostra os pretos
Chibatadas pelas costas
Faz confusão na cabeça de um moleque que não gosta de escola
E admira uma intra-tek, Clik-clek Mão na cabeça
Quando for roubar dinheiro público
Vê se não esqueça
que na sua conta tem a honra de um homem envergonhado
Ao ter que ver sua família passando fome
Ordem e progresso e perdão
Na terra onde quem rouba muito não tem punição

É! Mantenho minha cabeça em pé!
Fale o que quiser pode vir que já é!
Junto com a ralé Sem dar marcha ré!
Só Deus pode me julgar por isso eu vou na fé !


MV Bill Despacho Urbano (DVD Completo) - Rap Nacional

Rap Naciona, lAlex Pereira Barbosa (Rio de Janeiro, 3 de janeiro de 1974), mais conhecido pelo nome artístico MV Bill, é um rapper e escritor brasileiro. Iniciou a carreira na música em 1988, quando começou a escrever sambas-enredo para seu pai, sendo que em 1993 fez sua primeira participação em um disco oficial.[1] Seu primeiro álbum foi lançado em 1999 sob o título de Traficando Informação, que contou com a faixa "Soldado do Morro", que fez MV Bill ser acusado de apologia ao crime. Três anos depois, gravou o segundo trabalho, chamado Declaração de Guerra, com participações de artistas como Charlie Brown Jr. e Nega Gizza. Sua discografia ainda abrange outros dois álbuns, Falcão, O Bagulho é Doido, de 2006, e Causa e Efeito, de 2010.[3] Ainda, lançou um disco de vídeo em 2009, intitulado Despacho Urbano.



     


.



Só Deus Pode Me Julgar Mv Bill Vai ser preciso muito mais pra me fazer recuar Minha auto-estima não é fácil de abaixar Olhos...

Emivi, MV Bill, ao vivo




MV Bill - Emivi (Ao Vivo)


Artista - MV Bill
Musica - Emivi
Álbum - Despacho Urbano





Emivi

Mv Bill - studio




E ai choque, MV Bill está em casa
EMIVI

Liberdade, respeito, lealdade, justiça e união
Vai na fé

O Pesadelo da elite ta de volta, não morri
No caminho verminoso só Deus sabe o que senti
Falo do que eu sei
Digo o que eu li
Mantendo a coerência
Não exponho o que não vi
Quando a chapa esquentou
Você notou que eu não corri
Anunciaram seu veneno na tv mas não bebi
Diferente do preto que não quer se assumir
A esse tipo de lavagem cerebral sobrevivi
No meio de uma guerra
Foi onde eu nasci
O berço da exclusão foi onde eu cresci
Não me intimidei
Foi preciso resistir
Faço parte do quilombo comandado por Zumbi
De lá pra cá ou daqui pra li
Enquanto você chora quem controla o poder sorri
Vou guerrear pra não deixar me destruir
É por essas e por outras que eu sou EMIVI

Faça um despacho pra mim
Depois faça uma oração pra mim
EMIVI
Chame um camburão pra mim
Depois chame uma ambulância pra mim
EMIVI
Mande um sorriso pra mim
Depois você chore por mim
EMIVI
Bata muita palma pra mim
Depois mande muita vaia pra mim

Frustrações no passado eu senti
Investigações no presente eu sofri
E descobri que na pista é cada um por si
É preciso ter contesto pra não cair
O meu orgulho e meu respeito eu não achei por ai
Pra deixar filhinho de papai me inibir
Nem rir quando for avaliar o meu Q.I
Vai ver que tenho veneno pra jogar e ele engolir
Chega ai se quiser conferir
Vai descobrir que na escada africana um degrau eu subi
Submissão eu vi, vacilação ouvi
Deu destaque no jornal não sei se mereci
Minha fé não deixou diminuir
Meu interesse de lutar e melhorar pra quem vive aqui
Tenho uma grande missão para cumprir
É por essas e por outras que eu sou EMIVI

Tenha muito ódio de mim
Depois tenha amor por mim
EMIVI
Fale coisa boa de mim
Depois fale mal de mim
EMIVI
Peça liberdade pra mim
Depois peça uma cadeia pra mim
EMIVI
Mande uma africana pra mim
Depois mande uma nazista pra mim

Nas favelas da vida eu aprendi
Que pra ser palhaço de ninguém eu não nasci
Pensamentos negativos
Com coragem defendi
Não me submeti
Não cedi
Não morri
Não me omiti
Ensinamento da minha mãe assimilei
Ser humilde e não humilhado nunca mas esquecerei
Com a proteção no caminho que vou seguir
Mensageiro da verdade sem deixar me sucumbir
Odiado e amado pelo que eu promovi
Mais respeito pelo o povo da favela eu exigi
As mentiras dos livros da escola eu descobri
É por essas e por outras que eu sou EMIVI

Mande um sorriso pra mim
Depois você chore por mim
EMIVI
Bata muita palma pra mim
Depois mande vaia pra mim
EMIVI
Peça liberdade pra mim
Depois peça uma cadeia pra mim
EMIVI
Mande uma africana pra mim
Depois mande uma nazista pra mim
EMIVI




     



.


MV Bill - Emivi (Ao Vivo) Artista - MV Bill Musica - Emivi Álbum - Despacho Urbano Emivi Mv Bill - studio ...

Que a liberdade floresça a cada sexo





Que a liberdade floresça a cada sexo
Independente de gênero
Independente de orientação
Que se viva o respeito e a paixão
Gorjeie sentimento
Apalpe cada momento

Que a verdade escarra vaidade
Dispense mesquinharia
Expurga tirania
Que a genitália alheia, continue alheia
Cada qual com a sua

Cada corpo uma vida
Cada cabeça, uma sentença
Cada qual na sua
Em verdade nua
Sem arrependimento
Com sentimento

Liberdade em poesia
Com seu corpo
Sua alma
Dignidade e calma
Em cada tom
Em cada gesto
Pontual
Real





Que a liberdade floresça a cada sexoIndependente de gêneroIndependente de orientaçãoQue se viva o respeito e a paixã...
Posted by JN NETO - contos e poesias on Sexta, 3 de abril de 2015




     



.


JN NETO - contos e poesias Que a liberdade floresça a cada sexo Independente de gênero Independente de orientação Que se ...

Mais visitadas Última semana